sexta-feira, 7 de maio de 2010

Apetite

Eu vou casar com você. E  ser seu vicio. Que maldade a sua, sempre me jogar contra parede e me culpar por ter me dado seu corpo inteiro. EU VOU CASAR. E te causar outros vícios. E me causar outras dores. Outra doses de paredes quebradas. EU VOU. Sem essa maldade que você me destinou, continuarei bebendo e sendo carregada, regada como planta pelos meus. Vou nos sujar de varias cores, e sexos, e lama. Só te pedi um lugar, pequeno, no seu corpo em que eu pudesse me compartilhar. Deixe-me.



                                                                                                                      Eu vou me casar com você.

Com Você e com os SEUS. E CASAR com a CASA E com As memórias com MedOS . E compartilhar deveres e me obrigadar a ler seu livro preferido. E entender de OUTRA ciência. E casar com seu desejo pelo quarto ao lado. Pelo corpo do outro. Pelo roçar da cama do vizinho de cima. CASAR COM  A CASA. com as cascas. com o dentro e o fora. Com seu corpo, seu pelo colado. Com nossa (des)vontade de ,já, fazer sexo. Com a incompreensão de mim mesma. Vou com você. Só não me dê tempo de entender o que isso significa.

2 comentários:

Diogo Liberano disse...

dô. tanta coisa. caralho. devo estar chapado.

Isadora Malta disse...

dô, difícil de responder, me dá um tempo!?