domingo, 27 de junho de 2010

me transborda

è muito mais que isso meu amor...
você deveria parar de ficar prestando atenção nesses ratos que te amedrontam. São coisas da sua cabeça. Você tinha um coelho nas mãos e deixou ele cair. As crianças ainda estão em cima dos móveis, fazendo um auê. Você não vai fazer nada?
Já te falei
Não quero jogar a responsabilidade pra você, mas é que eu já estou muito ocupada, tentando dar algum sentido pra todo esse pó acumulado em você, pra essas fotos espalhadas pela casa. Sempre soube que você não gostava de rosa, mas vou pintar todas as paredes, a música, que você acha chata, vou colocar, não quero mais saber, porque sei, que na verdade, minhas ações ainda vão fazer de seu corpo reação.

Nossos impulsos, esses vão ser lembrados...

...e você precisa disso pra não ir agora.

Precisa se lembrar que ainda não é a hora.
Que não foi.

É que pra mim na verdade não importa. Gosto de ver você aí, parado, suspenso.
Pra mim você está mais vivo do que nunca, mas sei que é difícil, muita coisa...

esse barulho.
Espero que sirva pra alguma coisa, esse afeto todo.

3 comentários:

Dominique Arantes disse...

Me serve.
Me dói.
Me corta.

Te amo.

Diogo Liberano disse...

para de bancar a ofélia.

Dominique Arantes disse...

ofélia não tinha menor vaidade,
ofélia que era mulher de verdade.