segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Eu sobrei porque...

Eu sobrei. Na verdade, venho sobrando desde a primeira tentativa para não sobrar. Quando vejo todas as coisas que vivemos juntos, realmente, tenho a sensação de que sobrei. Sobrei desde o primeiro beijo no parque até o último, desesperado, calado, em prantos por minha/nossa partida. Eu sobrei porque precisava aprender a ficar sozinho. Mas agora já aprendi e ainda continuo na forma de sobra. Eu sobrei porque fui paciente, soube respeitar os seus medos e vontades. Eu sobrei porque fui coração aventureiro, levando sempre na mochila minha muda de roupa, com a esperança no peito de você me convidar para dormir em sua casa. Eu sobrei porque fui compreensivo demais e soube tolerar os seus ataques de ciúme, suas fotos e amigos celebridades. Eu sobrei porque não fui capaz de olhar para dentro. Eu sobrei porque me anulei e deixei você ir crescendo, tomando este meu espaço íntimo que, agora, oco chora baixinho. Eu sobrei porque você não poderia sobrar. Eu soubrei porque você jamais conseguiria lidar com essa situação. Eu sobrei para te salvar e nada disso recebi em troca. Eu sobrei como surpresa do kinder-ovo, da criança amadurecida que só queria mesmo era comer o chocolate. Eu sobrei verde abacate. Eu sobrei nas suas poesias intermináveis onde nunca fui amado. Eu sobrei por cima de suas letras e seu cadáver. Eu sobrei porque do que nada encontrei em você, vejo que em mim transborda. Eu sobrei bossanovacaetanomarinaritazeliaguilhermearnaldomarisaadrianamariamaria. Eu sobrei por completo o calçadão de copacabana e no posto seis lamentei sua partida. Eu sobrei proque me abracei a este amor que acreditava ser para sempre. Eu sobrei por querer me apaixonar e julgar esta vontade comum. Eu sobrei todas as escadas que subimos juntos. Eu sobrei niterói, para ser mais preciso gavião peixoto, eu sobrei laranjeiras, largo do machado, catete, botafogo, urca, vila isabel, penha e são paulo. Eu sobrei por bares esquinas. Eu sobrei porque estava bêbado e fora da realidade você não me aceitou. Eu sobrei porque me negaste um abraço antes de partir. Porque me negaste uma avenca, um sorriso, um chocolate. Eu sobre feito disputa em carrinho bate-bate, como nesta rima pesada que acabo de fazer. Eu sobrei porque queria ser rei e o dia de minha coroação nunca marcamos. Eu sobrei porque ainda sinto o seu perfume, a inhaca dos cigarros que fumamos juntos, a gordura das gorduras que ingerimos. Eu sobrei porque minha roupa ainda continua suja do seu sexo que não foi embora. eu sobrei porque a água acabou e foi preciso tomar banho de panela. Eu sobrei naquele dia, naquela janela. Eu sobrei porque todos os momentos que passamos juntos hoje estão em fotos e posso me lembrar exatamente de cada um deles. Eu sobrei por ser exigente, trabalhar com os detalhes e apreciá-los. Eu sobrei porque lemos muito e juntos carregamos o peso de cada página. Eu sobrei porque no escuro não consegui ver a maçã. Assim como ainda não consigo achar seus olhos nesse escuro claro que me cerca. Eu sobrei porque sinto saudade e, por esta razão, ainda sobro.

Um comentário:

Diogo Liberano disse...

quem sobra não é só quem sobra. quem sobra é quem também fica, quem parte, quem rima, quem se debate. sobra-se em vão. por ansiedade.